quinta-feira, agosto 27, 2009

Erlkönig, de Schubert

É um dos meus lieder de Schubert favoritos. Como não consegui escolher entre as duas interpretações, mostro-vos ambas. Anne Sofie von Otter com a Chamber Orchestra of Europe e direcção de Claudio Abbado.

E Dietrich Fischer-Dieskau. Não consigo encontrar o nome do pianista mas penso que foi um dos professores de Dieskau.


Com texto de Goethe, Erlkönig apresenta-se com um narrador e três personagens: pai, filho e Rei dos Elfos. Este é um lied de difícil interpretação por isso mesmo. As várias personagens e narrador devem ser auditiva e visualmente distintas pelas suas diferenças tímbricas e expressões faciais. Muito trabalho para um cantor só!

Aqui fica o texto original e a tradução (a possível).

Der Erlkönig

Wer reitet so spät durch Nacht und Wind?
Es ist der Vater mit seinem Kind;
Er hat den Knaben wohl in dem Arm,
Er faßt ihn sicher, er hält ihn warm.

"Mein Sohn, was birgst du so bang dein Gesicht?"
"Siehst, Vater, du den Erlkönig nicht?
Den Erlenkönig mit Kron und Schweif?"
"Mein Sohn, es ist ein Nebelstreif."

"Du liebes Kind, komm, geh mit mir!
Gar schöne Spiele spiel' ich mit dir;
Manch' bunte Blumen sind an dem Strand,
Meine Mutter hat manch gülden Gewand."

"Mein Vater, mein Vater, und hörest du nicht,
Was Erlenkönig mir leise verspricht?"
"Sei ruhig, bleib ruhig, mein Kind;
In dürren Blättern säuselt der Wind."

"Willst, feiner Knabe, du mit mir gehn?
Meine Töchter sollen dich warten schön;
Meine Töchter führen den nächtlichen Reihn,
Und wiegen und tanzen und singen dich ein."

"Mein Vater, mein Vater, und siehst du nicht dort
Erlkönigs Töchter am düstern Ort?"
"Mein Sohn, mein Sohn, ich seh es genau:
Es scheinen die alten Weiden so grau."

"Ich liebe dich, mich reizt deine schöne Gestalt;
Und bist du nicht willig, so brauch ich Gewalt."
"Mein Vater, mein Vater, jetzt faßt er mich an!
Erlkönig hat mir ein Leids getan!"

Dem Vater grauset's, er reitet geschwind,
Er hält in Armen das ächzende Kind,
Erreicht den Hof mit Müh' und Not;
In seinen Armen das Kind war tot.



O REI DOS ELFOS

Quem cavalga assim tarde a meio da noite e ao vento?
É um pai que traz consigo seu filho;
Leva firme nos braços o menino,
Aperta-o contra o corpo e guarda-o aquecido.

“Filho, por que escondes com medo o rosto?”
“Não vês, pai, o Rei dos Elfos?
O Rei dos Elfos com sua coroa e cauda?”
“Meu filho, é só uma faixa de neblina.”

Ei, adorável criança, vem, vem comigo!
Tantos jogos divertidos podemos jogar juntos;
Há muitas flores coloridas na beira da praia,
E minha mãe tem guardadas várias roupas douradas.

“Pai, pai, não ouves?
Tudo o que o Rei dos Elfos me fala sussurrando?”
“Calma, fica calmo, meu pequeno:
Entre as folhas secas sopra o vento.”

Belo menino, não queres comigo vir?
Minhas filhas cuidarão de ti muito bem;
Minhas filhas estarão ao teu lado à noite
E vão dançar e cantar até dormires.

“Pai, pai, não vês ali
As filhas do Rei naquele canto escuro?”
“Filho, meu filho, do que vejo estou seguro:
Ali brilham os velhos e cinzentos salgueiros.”

Eu te amo, agrada-me esse belo rosto;
Mas se não vens por bem, trago-te a contra gosto.
“Pai, pai, agora ele puxa-me!
O Rei dos Elfos magoou-me!”

O pai, horrorizado, cavalga veloz,
Nos braços traz o agonizante menino;
Aflito e cansado, a casa alcança:
Em seus braços, morta a criança.

4 comentários:

Joanamaro disse...

Adoro a primeira versão! É a minha favorita, de entre todas as que já ouvi. :)

Meow disse...

Eu também adoro esta versão da von Otter. Mas as expressões faciais do Fischer-Dieskau caracterizam tão bem todas as personagens...

rasselep disse...

Adoro ambas as versões. Recomendo ainda a versão de Jessye Norman que, apesar do ligeiro exagero, é extraordinária (http://www.youtube.com/watch?v=8noeFpdfWcQ)
Quanto a caracterização tímbrica, Bryn Terfel é impressionante, só é pena não ser em versão vídeo. (http://www.youtube.com/watch?v=usBq1pVIHIE)

P.S.: O pianista na versão de D.F.-D. é (quase de certeza) Gerald Moore.

Meow disse...

rasselep,

agradeço desde já a visita. Obrigada pelas dicas de outras versões. Para dizer a verdade, já a conhecia a da Jessie Norman e não gosto. Mas gostei muito da versão do Bryn Terfel. No entanto, considero a interpretação do rei dos Elfos ligeiramente exagerada. Mas uma grande versão, sem dúvida.